Descubra os sinais que podem identificar violência contra crianças | Contei

Dra. Ana Barrosa da pediatria dupla Carioca

A morte do menino Henry Borel, de 4 anos, no Rio de Janeiro (RJ), chocou a opinião pública pela brutalidade. Segundo a polícia, a criança sofreu uma série de lesões indicativas de agressões, que causaram a sua morte dentro da casa do padrasto, o vereador conhecido como Dr. Jairinho, namorado de sua mãe, Monique Medeiros. O casal foi preso acusado pela morte da criança.

Casos de violência tão explícita contra menores não são exceções na nossa sociedade, conforme mostra o Datasus, o banco de dados do Ministério da Saúde. De acordo com o documento, de todas as 350 mil vítimas de violência no Brasil em 2019, 140 mil foram crianças e adolescentes de zero a 19 anos. E dentro deste contingente, 35 mil foram crianças abaixo dos 4 anos.

Segundo a pediatra Dra. Ana Barrosa da pediatria dupla Carioca, os Maus tratos em crianças é um assunto difícil, mais extremamente importante em ser abordado. Queremos fazer um alerta por ser muito mais comum do que se supõem e se tivermos olhos atentos, podemos salvar a vida de uma criança totalmente inocente.

Dra. Ana Barroso, alerta que a criança agredida tem uma mudança comportamental drástica, geralmente volta a regredir como fazer xixi na cama, chupar chupeta.

Pode apresentar alteração no sono, não dormir sozinha, ou acorda na madrugada com muita frequência geralmente com pesadelo e precisar da ajuda de um adulto ou pode passar a dormir demais, Há também uma mudança no padrão alimentar algumas podem passar a comer por ansiedade, enquanto outras podem se tornar anoréxicas ou desenvolver bulimia.

Muito se falou do vômito no caso do HENRY, a criança geralmente vai apresentar vômitos quando ela sabe que vai chegar perto do agressor, da pessoa que está  fazendo mal a ela, como aquele medo é intenso e real a criança por muitas vezes fica nervosa , muito chorosa e acaba vomitando.

Outro possível sinal é apresentar depressão, perda da auto-estima e deixar de confiar nela mesma e principalmente  nas pessoas ao redor dela. Isso traz transtornos em longo prazo, alteração hormonal e de afeto.

Quem perceber alguma atitude suspeita de abuso infantil pode fazer uma denúncia pelo Disque 100 ou acionar diretamente a polícia pelo 190 ou fazer contato com o conselho tutelar da região como denúncia anônima (21)33473291, (21)33473238.

Quando uma criança chega na emergência e nos deparamos com sinais de algum abuso , fazemos um exame físico completo e detalhado na criança , chamamos assistente social que faz um relatório e entrega ao conselho tutelar que vai acompanhar de perto aquela família.