“Eu achava que nem gostava de macho”, revela Pocah em conversa com Thiago Araújo | Contei

Multifacetado, o jornalista, DJ, Produtor de eventos e CEO do site Pheeno, Thiago Araújo recebeu em seu canal de entrevistas no youtube a cantora Pocah para um bate-papo revelador. Amigos de longa data, a funkeira usou o espaço de Thiago para fazer um balanço sobre seus 10 anos de carreira, falar sobre empoderamento feminino, a parceria com Palo Vittar e sua orientação sexual. “Eu achava que nem gostava de macho, para início de conversa”, confessou Pocah ressaltando que hoje se considera bissexual. “Hoje, atualmente, eu sou comprometida com um homem, mas eu sou bissexual”, explicou.

A conversa foi ao ar dentro do programa “Estúdio Pheeno”, e também contou com o relato de Pocah falando sobre como foi essa descoberta. “As três primeiras pessoas que eu me relacionei na minha vida, foram mulheres e a minha mãe foi a primeira pessoa a achar que eu era lésbica mesmo e que não gostava de homens. E eu cheguei até a achar que a minha mãe estava certa, por mais que ela não me apoiasse. Depois, a quarta pessoa que eu fiquei foi um homem e eu falei: Eu gosto disso também hein, acho que eu sou bi. E continuei ficando com os dois”, lembrou a funkeira.

E continuou: “Na época que eu namorei meninas eu não era uma pessoa pública ainda. Eu comecei a ficar com meninas com 13, 14 anos. Por aí… O púlico LGBTQIA+ foi o primeiro a me abraçar mesmo, na minha carreira, e a gente é uma conexão só. Eu faço parte, eu luto junto, tento usar minha visibilidade a favor disso. Sempre apoiei, sempre estive presente nas paradas e acho muito importante artistas abraçarem essa causa”, acrescentou.

Outra causa pela qual Pocah faz questão de lutar trata do empoderamento feminino, que já se tornou uma das principais marcas de suas cações, estando presente em letras como “Mulher no poder”, “Não sou obrigada” e “Pode Chorar”, por exemplo. “Eu gosto de pautar esses assuntos nas minhas músicas, porque é muito legal. Eu comecei nem o menor intuito, mas não imaginava o quanto a música podia impactar na vida das pessoas. E recebo muitos feedbaks neste sentido”, conta.

Entre as novidades profissionais da cantora, que é uma das principais referências dentro do funk carioca, está a parceria recém lançada com Pablo Vittar. “Tem muito tempo que a gente estava planejando um feat e eu amo colaborar com a Pablo. Ela queria algo que chocasse, e a primeira vez que eu escutei Bandida eu falei, é essa. É uma música para cima, a nossa cara, e a coreografia casou muito com amúsica. Uma coisa potencializa a outra”, concluiu Pocah, acrescentando que amúsica já soma mais de 20 milhões de challenges no TiK ToK.

O quadro com a entrevista faz parte do canal “Pheeno TV”, que tem como principal objetivo a produção de conteúdo que destaque e valorize a cultura LGBTQIA+.