Após temporada na Europa, estilista Lidia Farkas lança grife e foca na responsabilidade social | Contei

A nova geração de designers brasileiros aposta em uma moda mais sustentável, com propósito, feita de maneira justa e colaborativa. O cenário atual vem favorecendo o olhar desses novos prodígios para o “Novo Normal”. Um desses talentos é Lidia Farkas Vaccari, com passagens por grifes internacionais como Jennifer Rothwell.

A estilista paulistana volta ao Brasil depois de uma temporada de estudos e autoconhecimento pela Europa, lançando sua marca homônima tendo como um dos pilares a sustentabilidade. “Acredito que a minha responsabilidade vai além do design”, diz. “Trago a ousadia vintage e ao mesmo tempo o toque moderno, a coleção realmente é fashionista e muito consciente”.

A pretensão da marca não envolve coleções extensas, mas sim coleções com um arsenal de ações sociais e sustentáveis. Um dos projetos sociais em ação é o “Toma lá, da cá” que convida suas clientes a doarem uma peça de roupa feita de poliéster. A marca pretende reformar e doar em nome delas às famílias carentes e instituições filantrópicas.

Outro projeto já em execução é o “Perpétuo”, que doa 70% do lucro de um produto muito inusitado, uma “Boneca Ímã”, para a Instituição COTIC (Centro Organizado de Tratamento Intensivo a Criança). “Eu não me via criando algo só para mim, essa marca tinha que ser de todos, eu sentia que ela precisava ajudar e ser viável para o mundo”.

A primeira coleção da marca é intitulada “Indaga”. Ela convida a nos perguntarmos sobre o momento em que estamos vivendo indo além do óbvio. Com isso, a estilista quer “educar” o público e mostrar como o uso consciente pode beneficiar todo mundo.

“O cetim, por exemplo, é um produto incrível. É macio ao toque, tem um leve brilho, é super versátil, mas não podemos fechar nossos olhos. É um produto dificilmente biodegradável, ele precisa ser olhado com carinho e cuidado, desde a lavagem até o “finally end” (finalização). Eu entendi que é uma matéria prima indispensável, o que eu quero é educar a forma com que cuidamos das nossas roupas e de como as descartamos”.

São designers assim como Lidia que pretendem reverter processos antigos e ultrapassados em função de mudanças de paradigmas. A moda brasileira, mais uma vez, mostra que respira design consciente. “Os novos designers vêm ditando os caminhos dos pilares do futuro. Se depender de nós, o tal do ‘novo normal’ vai ficar fora da curva, com muita criatividade e inciativas em prol de um bem maior”.

A coleção já está disponível no site da marca: https://lfarkasv.com.br