Assessor de mídia, Eduardo Graboski avalia novos reality shows: “muita visibilidade para as modelos” | Contei

Nos últimos meses, uma nova onda de reality shows invadiu os canais de TV e serviços de streaming como Netflix e PrimeVideo. Depois de Big Brother Brasil (Globo) e A Fazenda (Record TV), outros formatos fizeram muito sucesso, entre eles de “De Férias com o Ex” (MTV) e The Circle Brasil (Netflix). E não para por aí, SBT e RedeTV! já lançaram novos programas no mesmo estilo.

De olho nessas atrações, o jornalista e assessor de mídia Eduardo Graboski vê os reality shows como grandes oportunidades para modelos e influenciadoras, principalmente as que estão se lançando no meio artístico. Para o especialista, os programas que exploram a “vida real” sempre estarão em alta. Ele falou mais sobre o assunto nesta semana durante uma live no Instagram com o jornalista Ricardo Bispo, de Adamantina/SP.

“O público gosta de ver situações do dia a dia, isso gera uma conexão muito forte com os participantes. E para as modelos, esse tipo de programa é a porta de entrada para o universo das celebridades. Um reality é capaz de transformar uma anônima em famosa em poucas horas ou dias. É muita visibilidade, o alcance é enorme, praticamente incalculável”.

Citando programas que envolvem confinamento em casas e mansões, Graboski diz que o público está migrando para novas atrações além do BBB – o mais famoso entre todos – e que as próprias modelos estão dando mais atenção para outros realitys, incluindo aqueles restritos aos serviços de streaming ou mesmo na internet e redes sociais.

“Há uns 2 ou 3 anos, as modelos procuravam uma assessoria de mídia apenas para uma oportunidade no BBB, hoje elas se interessam muito mais por outras produções como A Fazenda, De Férias com o Ex, Soltos em Floripa entre outros. O interesse das pessoas mudou, temos uma nova visão sobre esse tipo de programa. E as modelos devem aproveitar até mesmo as produções menores”.

Segundo o assessor, o momento de surfar essa onda é agora. Tanto que orienta as modelos que sonham com fama, status e popularidade a buscarem projetos nesse formato. Para ele, mais do que vencer um reality ou dar as caras para o grande público, participar desse tipo de projeto é a chance de fazer novos contatos e viver novas experiências, buscando oportunidades ainda maiores.

“Há ainda uma tendência para os reality shows de sensualidade e pegação, as modelos precisam aproveitar essas produções. Claro, se faz sentido para ela e se está dentro dos seus objetivos e propósitos. Não adianta entrar em um reality ou programa apenas na empolgação, precisa ter uma intenção e um planejamento de carreira. A ideia é aproveitar cada momento, cada contato e cada experiência dentro do projeto”, finaliza.

Eduardo Graboski, jornalista e assessor, abre o jogo sobre novos realitys – Foto: Divulgação