Cuidados para se tomar na internet em 2021 | Contei

Os números de ataques ransomwares tem subido em todo mundo e, em uma era digital onde a internet está conectada a tudo à nossa volta, os alvos dos cibercriminosos têm se multiplicado. Além de toda a facilidade que a internet proporciona, ela abre portas para crimes e sequestros virtuais.

Diante disso é vital saber como se proteger na internet, quais portas fechar para que não haja acessos externos ao dispositivo.

Existem inúmeras formas de ransomware conseguir acessar o dispositivo, a principal delas, é usando falhas causadas pelos próprios usuários. Por isso, o cuidado na internet precisa ser ativo e cuidadoso. A Digital Recovery e a PhD Recovery têm lidado com isso em seus laboratórios, clientes que tiveram os seus dados sequestrados.

 

  • Antivírus firewall ativos e atualizados – Essa é a primeira barreira para evitar que o ransomware acesse os seus arquivos, por isso a necessidade de sempre deixá-los atualizados e ativos, ainda que seja necessário o pagamento de uma assinatura.
  • Sistema operacional – Todas as atualizações de sistemas operacionais corrigem erros da versão antiga, erros que de alguma foram descobertos. Um exemplo clássico foram as falhas do Windows 7 que foram atualizadas pelo Windows, mas algumas empresas acabaram não atualizando os seus sistemas que ficaram vulneráveis, e o ransomware WannaCry usou essa porta para invadir os sistemas dessas empresas.
  • Programas crackeados – Programas crackeados são os programas pagos que são disponibilizados na internet de graça, não tão de graça assim, alguns criminosos instalam pequenos comandos que após instalados abrem portas para que um ransomware entre e bloqueie todo o sistema.
  • Sites maliciosos – Há inúmeros sites na internet que estão cheios de armadilhas para que você clique, fazendo assim, que o ransomware invada o seu computador. Existem relatos que os criminosos copiaram sites oficiais para passar mais credibilidade. Se você prestar a atenção na URL dificilmente cairá em sites não seguros, o Google implementou um “S” no fim do http, ficando “HTTPS”, isso serve para sinalizar que o site é seguro para navegação.
  • Links maliciosos em e-mails – Os cibercriminosos usam campanhas de e-mails, enviando centenas de mensagens contendo links para a instalação de programas maliciosos. Existem também e-mails contendo propostas e ofertas “irrecusáveis” contendo um link malicioso que se hospedará no sistema operacional e abrirá portas para que um ransomware entre.

 

Sempre é bom lembrar que a internet é um campo aberto onde os ataques podem vir de qualquer lado, sem nenhum aviso prévio. Por isso, precaução é fundamental para a segurança das suas informações e dados.

Há inúmeros tipos de ataques cibernéticos, o que está em alta na atualidade é o ransomware, ele é muito mais do que um simples vírus, ele encripta os arquivos bloqueando o acesso a elas, cobrando um valor de resgate.

A formatação é uma opção, mas ela não é viável para empresas ou pessoas que precisam dos seus dados novamente, nesse caso, o pagamento pode parecer ser a única opção, mas não é. Existem empresas que fazem a recuperação de dados encriptados, como a Digital Recovery e a PhD Recovery. A recuperação é uma opção para as empresas e pessoas.

Esse tipo de recuperação não requer a chave de descriptografia que apenas os hackers possuem, isso é um alívio, pois, geralmente, os valores pedidos são altíssimos.

Antes de chegar ao ponto de precisar recuperar os seus dados após um ataque ransomware bem sucedido, o melhor é se precaver com todos os cuidados citados.