Dentista Claudia Pravato fala sobre o aumento na procura por clareamento dental e destaca alguns cuidados na escolha dos métodos | Contei

Quem nunca sonhou em ter os dentes brancos e saudáveis? Aquele ditado de que “a saúde começa pela boca” tem sua verdade atestada também pela odontologia, afinal de contas, a boca pode ser a porta de entrada para diversas patologias e, por conta disso, ter uma boca saudável é fundamental.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Odontologia e Estética (SBOE), o Brasil é considerado o segundo país que mais realiza mudanças odontológicas no mundo e, entre 2015 e 2019, a busca por procedimentos e o dinheiro gasto em odontologia estética triplicou.

Dentre todos os procedimentos disponíveis pelo mercado, o clareamento dental ainda ocupa, e deverá se manter,  na posição de mais requisitado. De acordo com a última análise de pesquisa de mercado da empresa de pesquisas ‘Technavio’, apoiada na extensa procura pelo procedimento durante a pandemia de Covid-19, o mercado global de clareamento dental registrará um crescimento incremental de 840 milhões de dólares nos próximos anos. As previsões testemunham um aumento anual de 4% durante 2020-2024.

Segundo a dentista Claudia Pravato, o aumento na procura por clareamento dental já vem sendo observado no dia a dia. “A busca para melhorar a saúde e aparência dentária, impulsionada pela pandemia, foi o fator fundamental para o crescimento do mercado de clareamento dental”, afirma Claudia.

Vale ressaltar, no entanto, que o clareamento dental não é exclusivamente estético e requer muito critério. A orientação de um cirurgião-dentista é imprescindível. “Os clareadores dentais devem ser utilizados com a orientação de um profissional. Antes de fornecer o clareamento o dentista avalia os casos e analisa as expectativas de cada cliente. A partir disso, o profissional define qual o melhor método a ser usado.

Os produtos clareadores são compostos por agentes contendo peróxidos, responsáveis por remover manchas profundas e superficiais. Clarear os dentes com produtos caseiros e sem o acompanhamento de um dentista não só pode causar danos, mas pode levar ao oposto do que as pessoas estão tentando alcançar.

“Mesmo que a finalidade seja apenas estética, o acompanhamento de um profissional não é dispensável, pois o procedimento envolve o uso de substâncias químicas. O uso de qualquer tipo de produto clareador sem a supervisão de um dentista pode ocasionar danos permanentes nos dentes”, alerta a Dra. Claudia.

“Muitas pessoas me perguntam sobre clareamento a laser. O laser tem várias funções na odontologia, mas pra clareamento ele não é mais indicado, pois muitos estudos científicos chegaram a conclusão que o laser pode causar inflamações dentárias e vários outros problemas. Existem três outras técnicas que utilizo em meu consultório e converso bastante com meus pacientes para escolhermos um tratamento que se encaixa melhor em cada situação”, ressalta a dentista.

Claudia Pravato tem 28 anos, se formou em 2018 no Unifoa, em Volta Redonda, no sul do estado do Rio de Janeiro, e se especializou em Prótese e Reabilitações Orais Estéticas. Fez cursos nas áreas de Implantodontia, Periodontia e Lentes de Contato Dentais.

Para maiores informações, visitem a página da dentista no Instagram: @draclaudia.pravato

Fotos: Acervo Pessoal (Divulgação)