Ex-Miss Bumbum que hoje é pastora polemiza ao falar de aparência e lamenta ataque de ‘haters’ | Contei

De Miss Bumbum Distrito Federal à pastora evangélica. Agora convertida, Ana Akiva dedica-se à palavra de Deus e a projetos sociais. Nesta semana, ela surpreendeu na web ao postar um texto falando de aparências e haters. Posando despojada, fez uma reflexão sobre julgamentos e entregou que ainda enfrenta muito preconceito pelo passado que tem.

“Desde que tornei meu testemunho público, algumas pessoas do meio evangélico ainda insistem em me julgar não só pela aparência, mas por ter me afastado nesses últimos anos e voltado só agora mostrando a minha transformação. Não me abalo com as críticas, mas quero fazer um apelo para que enxerguem além das aparências e além do passado, que é um grande testemunho de transformação do que Deus pode fazer na vida das pessoas, estou cada dia em busca de experiências espirituais e procuro ajudar quem precisa. Isso é servir a Deus. E não ficar julgando o próximo pela roupa que veste, pelo cabelo e assim por diante”.

No post, Ana questiona justamente se as pessoas enxergam além das roupas, das poses e dos sorrisos. E detona: “de que adianta ter 2 metros de saia e 10km de língua? Gente, cada um dará conta de si no dia do juízo. Seja você̂, com saia rodada ou calça rasgada. Com cabelo preto ou azul, seja você̂. Não use uma máscara. E não julgue o próximo só porque ele tem um estilo diferente do seu”, aconselha.

Para a pastora, o julgamento alheio é o próprio ódio, que muitas vezes está ligado a inveja. “Não julgue o próximo, só́ porque ele peca de um jeito que não te agrada”, pede. Porque disseminar ódio? Só́ porque a outra pessoa peca diferente de você̂? Se você vê̂ o exterior também consegue enxergar o íntimo e profundo de cada um”, escreveu nas redes sociais.

No fim do post, Ana Akiva ainda cita um trecho bíblico que tem relação com o tema em Mateus 6:22-23. “A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá́ luz. Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será́ tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas”.