Maria Luiza Jobim canta suas memórias em “Casa Branca” | Contei

As melhores lembranças da infância de Maria Luiza Jobim estão no single “Casa
Branca”, que ela lança nesta sexta-feira através da Altafonte. A canção composta
por ela em parceria com Lucas Vasconcellos e produzida por Alexandre Kassin dá
nome ao primeiro álbum da cantora previsto para outubro.

Um clipe dirigido por Julio Secchin com uma compilação de imagens do arquivo
pessoal da família da artista acompanha a faixa. Em “Casa Branca” tudo parece
uma celebração da saudade. As cenas, a letra, a melodia, os irmãos, Tom, os
amigos, o Nitendo e João.

“Fala sobre a casa onde cresci. As memórias, os cheiros, os sonhos daquela
infância. Acho que consegui expressar esse universo”, acredita Maria Luiza. “Por
esse ser meu primeiro trabalho solo, foi fundamental me conectar com o início da
música na minha vida. Os ensaios lá em casa, as crianças em volta do piano. Meu
pai tocando e eu acompanhando”, relembra.

Maria Luiza Jobim. Foto: Divulgação/Guilherme Nabhan

Maria Luiza Jobim. Foto: Divulgação/Guilherme Nabhan

Mas, o álbum como todo não se detém apenas às memórias. Ele conecta aquela
garota de “cabelo amarelo e óio cor de chuchu” à Maria Luiza Jobim de hoje:
mulher, mãe e artista. Talvez por isso, a programação eletrônica moderna do single
se misture tão bem com o passado e a doçura da voz da cantora.

“Comecei a compor o disco quando soube que estava grávida, em Nova
York. Estava numa imersão, passando alguns meses estudando produção musical
em Juilliard. Era um momento muito rico e feliz. Antonia e o disco
surgiram dali”, revela.

Veja o clipe de “Casa Branca”: