Teatro | Contei
VIVO RIO RETORNA COM SUA ATIVIDADES COM MARIA RITA NO SHOW “SAMBA DA MARIA”

VIVO RIO RETORNA COM SUA ATIVIDADES COM MARIA RITA NO SHOW “SAMBA DA MARIA”

Dia 17 de Outubro no Vivo Rio

Desde que lançou o álbum ‘Samba Meu’, em 2003, Maria Rita transita com imensa desenvoltura no universo do samba e hoje está consolidada como uma das grandes artistas do gênero. A partir desta ligação afetiva, a cantora criou o ‘Samba da Maria’, projeto que vem percorrendo diversas cidades do Brasil e do mundo desde 2015.

O repertório traz sucessos de sua discografia, como ‘Tá Perdoado’, ‘Maltratar Não é Direito’ e ‘Corpo Só’, além de clássicos imortalizados nas vozes de grandes nomes da música brasileira, como Beth Carvalho (‘Vou Festejar’), Jorge Aragão (‘Coisa de Pele’, ‘Lucidez’), Clara Nunes (‘Juízo Final’), Gonzaguinha (‘É’, ‘O Homem Falou’), Elis Regina (‘O Bêbado e a Equilibrista’) e Arlindo Cruz (‘O Meu Lugar’), entre outros.

Maria Rita é acompanhada por Leandro Pereira (violão 7 cordas), Fred Camacho (banjo e cavaquinho), Vinícius Feijão (pandeiro), Jorge Quininho (percussão) e Adilson Didão (percussão).

SOBRE MARIA RITA

Uma das maiores e mais premiadas vozes da música brasileira, Maria Rita começou a cantar profissionalmente aos 24 anos. Filha da cantora Elis Regina e do músico César Camargo Mariano, ela entrou no mercado fonográfico de forma arrebatadora, vendendo um milhão de cópias de seu disco de estreia, “Maria Rita” (2003), que rendeu a ela três Grammy Latino, nas categorias Melhor Álbum de MPB, Melhor Canção em Português (“A festa”) e de Revelação do Ano – a única artista do país até hoje a vencer um troféu nesta categoria. De lá para cá, depois de oito trabalhos de estúdio e cinco DVDs – vários deles, de platina – recebeu outros quatro gramofones da prestigiosa premiação, o mais recente em 2018, o de Melhor Álbum de Samba, com “Amor e Música”, além de acumular uma vasta coleção de prêmios em outras cerimônias, como o Multishow, TIM, APCA, entre outros.

 

Serviço: Maria Rita

Local: Vivo Rio

Data:17 de outubro às 21h.

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo, Rio de Janeiro, RJ
Abertura dos portões: Duas horas antes do show.
Classificação etária: 18 anos. Menores de 18 anos entram acompanhados dos pais/responsável.

 

Valores:

 Camarote A R$ 280,00

Camarote B R$ 240,00

Camarote C R$ 140,0

Balcão R$ 240,00

Frisa R$ 160,00

Setor 1 R$ 280,00

Setor 2 R$ 240,00

Setor 3 R$ 200,00

Setor 4 R$ 180,00

 Vendas online em vivorio.com.br

Elaboramos um protocolo rígido que segue todas as recomendações

das autoridades sanitárias. Nosso compromisso é com o bem-estar

e a saúde do nosso público, funcionários e dos artistas que passarão

pela nossa casa.

 Detalhes:

Os espetáculos serão realizados com com lugares pré-marcados,

respeitando a capacidade de 1/3 dos lugares do estabelecimento e o

uso da máscara é indispensável.

 

Veja nosso protocolo completo em vivorio.com.br

Cultura: Acesse o espetáculo “O Vórtice” em plataforma online gratuita

Cultura: Acesse o espetáculo “O Vórtice” em plataforma online gratuita

O Vórtice é uma forma que se singulariza na água ou ar, sendo ponto de partida para o espetáculo que se transformou em instalação imersiva, sob a concepção de Vicente Martos

 

Com direção de arte de Vinicius Dantas, “O Vórtice” estava caminhando para estrear em espaço físico, mas devido a pandemia do novo coronavírus, precisou ser adaptado para uma versão online, com o desafio de fazer o espectador se sentir de forma intrínseca, parte daquela performance, dessa vez como visitante virtual. Também será lançada uma videoarte com título Vórtice-Córtex, com direção de Ego Sum Frank e fotografia de Luciana Ramin.

 

O espetáculo acontece em diferentes ambientes da casa do artista, semanalmente os espectadores poderão acessar um novo cômodo, em cada espaço será apresentado uma performance exclusiva, que estetiza o corpo e sua relação com as memórias de infância. 

 

Para uma experiência mais apurada, o público também pode conferir a performance fazendo uso de óculos de realidade virtual, que possibilitará um acesso mais íntimo e dinâmico, dos ângulos filmados com câmeras 360º.

 

Cronograma de apresentação:

 

23/07 – Cozinha (Já está disponível na plataforma)

30/07 – Quintal  (Já está disponível na plataforma)

06/08 – Sala

11/08 – Quarto

13/08 – Lançamento filme: Vórtice- Córtex

20/08 – Oficina AUTO VIDEO: práticas em videoperformance (Oficina Oswald de Andrade)  

21/08 – Oficina Construção de óculos de realidade virtual (Secretaria de Cultura e Educação Suzano)

 

Sobre o artista e equipe:

 

VICENTE MARTOS é artista da performance, pesquisador e produtor, tendo participado de festivais, mostras e exposições em São Paulo e outros estados do país. Formou-se em Comunicação das Artes do Corpo (PUC/SP, 2009) e é mestre em Artes Cênicas no PPGArC/UFRN (Natal/RN, 2019). Sua pesquisa se volta para a encenação a partir do corpo e seus desdobramentos estéticos e eróticos, em diálogo com outras mídias e tecnologias, sejam elas de comunicação, geração de imagens ou interação. Entre seus principais trabalhos estão as performances multimídia Cartas a Renato Cohen (São Paulo, 2014/2018), Isto Não É Uma Festa (Natal/RN, 2019) e Chá de Bebê, (São Paulo, 2019). Também possui experiência como arte-educador em oficinas relacionadas à arte da Performance. Atualmente, vive e produz em São Paulo, onde estabelece parcerias produtivas com outros artistas e profissionais da tecnologia na criação e execução de projetos.

 

A instalação imersiva O VÓRTICE é um projeto autoral de Vicente Martos que pesquisa narrativas autobiográficas a partir de materiais de arquivos. O trabalho conta com uma equipe preciosa formada pelxs seguintxs artistas: Luciana Ramin, fotógrafa, editora e videomaker, diretora do Agrupamento Andar7; Mônica Augusto, atriz, diretora e professora de Yoga, diretora e fundadora da Dual Companhia de Dança; Raiany Sinara, musicista, compositora e DJ; Rita Cavassana, artista da performance, diretora, pesquisadora e produtora cultural; Vinicius Dantas, artista visual, designer e pesquisador, responsável pela direção de arte e tecnologias de interação do projeto; Ego Sum Frank, artista visual e diretor de arte em produções audiovisuais.

 

 

Realização: Secretaria de Estado da Cultura, PROAC 01/2019 Criação e circulação de espetáculo inédito – Teatro

 

Apoio: Oficina Cultural Oswald Andrade, Secretaria da Cultura de Suzano, Secretaria de Cultura e Educação de Guarulhos

Parceria: LABPerformance UFRN

 

 

Serviço:

Espetáculo: O Vórtice 

Local na Web:  https://www.vicentemartos.com/ovortice

Horário: 18:00

Faixa Etária: Livre 

Rede Social: https://www.instagram.com/ovortice_/

Grátis

Ficha Técnica:

 

O Vórtice – instalação imersiva e videoarte

Concepção e performance: Vicente Martos

Direção de arte: Vinicius Dantas

 

VÓRTICE CÓRTEX 

Duração: 25 min. 

Direção: Ego Sum Frank 

Fotografia e edição de vídeo: Luciana Ramin

 

Música: Raiany Sinara

Figurino: Barbara Moreira

Preparação corporal: Monica Augusto

Preparação vocal: Thiago Furlan

Produção: Rita Cavassana

Assessoria de Imprensa: Consultório da Fama 

Foto: Divulgação/Consultório da Fama

 

Conheça Marina Malfacini, atriz que emociona em “Annie, o Musical”

Conheça Marina Malfacini, atriz que emociona em “Annie, o Musical”

Indicada a prêmios, niteroiense de 12 anos já soma mais de 10 peças na carreira

A niteroiense Marina Malfacini, de apenas 12 anos, vem brilhando nos palcos do teatro musical. Com mais de 10 espetáculos no currículo, ela foi indicada recentemente ao Prêmio Musical.Rio, na categoria destaque mirim 2019, pela interpretação da cantora Elis Regina ainda jovem, na peça “Elis, o Musical”. Atualmente, a atriz mirim está em cartaz no Teatro Riachuelo, como uma das protagonistas de “Annie, o Musical”, uma realização do Centro de Estudos em Teatro Musical (CEFTEM).

Marina vive a carismática protagonista Annie, uma garotinha órfã de 12 anos

A produção é baseada na história em quadrinhos de Harold Gray que estreou na Broadway em 1977 e agora ganha uma versão adaptada por Miguel Falabella. Marina vive a carismática protagonista Annie, uma garotinha órfã, de 12 anos, abandonada pelos pais quando ainda era bebê, mas nunca perdeu a esperança de encontrá-los. Sua personagem promete uma injeção de otimismo e determinação a quem for assistir ao espetáculo, no próximo sábado (8), às 15h.

Apaixonada por teatro e poesia, Marina faz aulas de canto, violão e dança. Ela é um dos maires talentos da sua geração no teatro musical e já encantou o público na peça “Pequena Miss Sunshine”, uma adaptação do filme ganhador de vários Oscars em 2006. A interpretação da jovem estrela dos palcos rendeu duas indicações a prêmios e uma premiação do site Musical.Rio como atriz destaque mirim em 2018, quando deu vida à pequena Ólive, pequena Olive é participar do concurso da Pequena Miss Sunshine.

“Desde pequena eu tinha o desejo de atuar. Eu tinha um baú de fantasias e ficava interpretando personagens que eu inventava. Aos 7 anos, pedi para a minha mãe me colocar em um teatro que tivesse canto, interpretação e dança. O teatro musical sempre esteve em mim e eu só não sabia. Quando o bichinho do teatro musical te pica não tem amor, trabalho, sonho, dinheiro que te tire de lá. Nem adianta tentar”, afirma a moradora de Piratininga.

Livro e planos para 2020

Criativa e sem receio de ousar, ela sempre teve uma veia artística muito forte. Trabalhou como apresentadora voluntária na rádio Escola.FM e foi uma das autoras do livro sobre o projeto, lançado na Bienal do Rio em 2019. A jovem também fez parte do elenco do canal Parafernalha, sucesso do Youtube. A atriz promete novidades para 2020.

“Eu vou entrar no ar em uma participação que fiz com a dupla Glorinha e Renato, no programa Música Animada, na TV Brasil. E estarei focada no estudo, com aulas de canto para teatro musical, interpretação para teatro e interpretação para TV. Quero também aprender a tocar um novo instrumento, o Ukulele, e aguardando novas e boas oportunidades surgirem. O audiovisual é algo que está nos meus planos”, conta Marina.

Annie

A prática de montagem de “Annie, o Musical” tem 3 elencos e faz temporada até o dia 16 de fevereiro, com sessões aos sábados às 15h e domingos às 11h. Com texto de Thomas Meehan, músicas de Charles Strouse e letras de Martin Charnin, o espetáculo tem direção de Ana Paula Abreu, direção musical de Alexandre Queiroz e Miguel Schomam e coreografias de Bella Mac. Além de supervisão artística de Reiner Tenente.

Marina Malfacini contracena com os atores João Telles e Larissa Jansen no musical Annie

 

Serviço:

Musical Annie

Temporada: Até 16 de fevereiro

Local: Teatro Riachuelo – Rua do Passeio, 38/40 – Centro

Horários: sábados às 15h e domingo 11h

Duração: 120 minutos

Classificação: Livre

Ingressos: Plateia VIP R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia); Plateia R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia); Balcão Nobre e Balcão: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)

 

Fotos: divulgação

Assessoria: 12ML comunicação

Reestreia “REVIR” no Teatro MASP

Reestreia “REVIR” no Teatro MASP

Com Kauê Ribeiro, Joaquim Tomé e Marina Droghetti

Reexistir, refazer, revelar, resistir… 

O apego pela autoimagem celebra um cárcere privado. A pulsão emerge e a jornada se torna necessária. No momento de se libertar, desenha-se o infinito movimento de vir de novo.

É um mergulho nas questões existenciais que temos ao longo da vida. As descobertas feitas ao longo dessa jornada, muitas vezes angustiantes, nos força a quebrar amarras e ressignificar nossa existência para encontrar a harmonia.

REVIR tem como foco central essa jornada que remete a busca pela união ego-alma, a união primordial com o universo.

Reexistir, refazer, revelar, resistir… O impulso auto reflexivo, o indivíduo se relacionando com as diversas forças e facetas de seu ego.

O espetáculo tem a intenção de despertar o público para suas próprias questões existenciais.

O infinito movimento de vir de novo. Revir.

 

Sobre Marina Droghetti:

Formada como bailarina na EAT Contemporain (Ministère de la Culture) Paris, estudou balé clássico, dança contemporânea e jazz. Performou no museu Rodin e na Bourse de Paris.  Já no Brasil, em 2015, fundou o próprio estúdio e desenvolveu o método BalletBuild. A técnica mescla ballet no chão com alongamentos e pilates, que desenvolve um corpo flexível e tonificado.  Uma de suas grandes referencias é o coreógrafo Philippe Decoufle, com quem pode estudar por alguns meses.

“A ideia do espetáculo total, da dança em foco, os elementos cinematográficos, a dramaturgia e a ilusão de ótica que ele trabalha me levam para um estado de total presença e imersão artística. Busco colocar tudo isso nos meus trabalhos” – Marina.

 

Ficha Técnica:

Direção: Marina Droghetti e Joaquim Tomé

Coreografia: Joaquim Tomé

Concepção: Marina Droghetti

Assistente de ensaio: Kênia Genaro

Elenco: Kauê Ribeiro, Joaquim Tomé, Marina Droghetti

Figurino: Sônia Tomé

Imprensa: Leonardo Almeida Assessoria de Imprensa

Produção: Cassia de Souza – Sala de produção

 

Serviço:

Data: 17/12

Horário: 21 horas

Local: MASP – Avenida Paulista, 1578

Ingressos: R$ 70,00 (inteiro) R$ 35,00 (meia)

Classificação: Livre

Instagram: @revir_marinadroghetti