Empresário Cássio Canali dá dicas sobre a melhor marketplace para sua empresa | Contei

Uma grande parcela do sucesso das vendas de um negócio vem da localização da loja. Mas quando a loja é virtual, podendo ser acessada de qualquer lugar, quais são os fatores que vão atrair clientes? Com o crescimento das marketplaces durante a pandemia, surgem mais oportunidades de vender. Dados divulgados pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) revelam que somente  no primeiro semestre de 2020, cerca de 7 milhões de novos usuários fizeram sua primeira compra através de e-commerce. A mudança no comportamento provocada pela pandemia gerou aumento no faturamento em 47%, comparado aos 12 meses anteriores. A ABComm prevê que o crescimento deve continuar para 2021. Mas antes de se aventurar em diversas plataformas, é preciso saber qual delas é adequada ao perfil do negócio.

Especialistas destacam que, antes de conhecer mais sobre as plataformas, é necessário que o empresário conheça profundamente o próprio negócio. É o que sugere o empresário e consultor de vendas online, Cássio Canali. Dono de um canal de YouTube com mais de 320 mil seguidores, o especialista em vendas na modalidade dropshipping – sem estoque – chama atenção para a necessidade de verificar se o local de venda é adequado para a sua loja. Para isto, é preciso verificar como é o movimento e quanto será gasto com a escolha. “Aderir a uma plataforma é como escolher abrir uma loja dentro de um shopping. Você precisa se certificar se ele é bem movimentado e do valor do aluguel. Isso equivale dentro dos marketplaces a popularidade do site e a taxa de comissão cobrada por venda”, adverte o consultor.

Entre os fatores que devem ser levados em conta na hora da escolha está a modalidade de vendas e a logística do negócio. Como especialista em vendas por dropshipping, Cássio lembra que existem marketplaces mais favoráveis ao modelo. De acordo com ele, as plataformas com mais audiência e taxas baixas, pagas exclusivamente quando a loja realiza vendas, fazem da Shopee e do Mercado Livre as melhores alternativas para o modelo de negócio sem estoque.

O produto escolhido pelo empresário também exerce forte influência na escolha pelo marketplace. Mais uma vez, Cássio Canali cita a Shopee e o Mercado Livre como os campeões de audiência na América Latina, que podem oferecer uma boa vitrine para produtos que combinam alta procura com a possibilidade de serem escolhidos pelo gosto para fugir da competição por preço. “Além disso, a Shopee se popularizou com produtos de ticket baixo -até R$50,00 reais. Por isso, recomendo começar por lá com itens dentro dessa faixa de preço”, aconselha o empresário.

E para quem tem loja virtual própria, mas precisa de mais opções de venda e suporte, Cássio Canali sugere a plataforma Loja Integrada:”Para loja virtual própria,uma das mais adequadas seria a Loja Integrada, por ser uma empresa brasileira. E o plano gratuito de até 70 produtos possui todos os recursos essenciais para uma loja profissional, perfeito para quem está começando”, completa.