Isadora Studart explora versatilidade como atriz e diretora no audiovisual | Contei

Isadora Studart é versátil e expõe todo seu talento trabalhando com a direção e atuação. Sua mais recente participação como atriz foi na série da Nathional Geographic “Banged Up Abroad” – Preso de Férias e na série do GNT “Os Homens São de Marte” junto com Mônica Martelli.

Formada pelo Lee Strasberg Theater and Film Institute em Nova York e pela Estácio de Sá em cinema, Isadora possui conhecimento nas áreas de direção e produção com alguns workshops internacionais e com suas formações. Fundou junto com amigos atores o canal “Panela de Pressão” websérie para o youtube voltado para comédia e já trabalhou em parceria com as produtoras Mandrake, Producing Partners e Studio M produções.

“Dirigir pra mim é uma inspiração e aprendizado constante, uma extensão do meu trabalho como atriz. É uma voz subconsciente que tem uma maneira particular de interpretar histórias e criar conexões.Entender todo o funcionamento por detrás das câmeras auxilia muito quando se está na frente delas e vice-versa. É uma responsabilidade de administrar e guiar um conjunto artístico com o coração.” Falou Isadora Studart.
Voltada para o mundo da atuação cursou o Teatro Tablado, e Escola de Atores Wolfmaya no Rio de Janeiro. Atuou em filmes independentes, como: “Ouro Suriname”, curta metragem da New York University (NYU) filmado no Brasil e selecionado para o Hollyshorts Film Festival em Los Angeles (2013)/Orlando Film Festival (2013)/Beverly Hills Film Festival (2014). Estreou no cinema nacional em 2013 com a participação no filme “Casa da mãe Joana 2” do Diretor Hugo Carvana, a diretora e atriz acumula muitos outros projetos em sua trajetória.

” Ser atriz é transbordar-se, conhecer e investigar a si mesmo para preencher um papel. Temos tantas características em comum e também opostas aos personagens. Reconhecer isso e servir a esse propósito é instigante.Trabalhar a imaginação e usar as ferramentas das nossas vidas para dar vida a uma personagem é uma troca enriquecedora.É um processo contínuo de estudo, de construção e desconstrução pessoal.” Contou a atriz e cineasta.