Jornalista Emiliano Macedo volta ao Brasil e fala sobre a experiência na Polinésia Francesa

“Um verdadeiro cartão postal. As ilhas são, de fato, lindas e cheias de magia!”, descreveu Emiliano ao regressar, no fim de semana, do arquipélago de Bora Bora, na Polinésia Francesa. Para os amantes de praias e mergulhos em águas cristalinas, a localidade é ideal para qualquer atividade.

O jornalista cumpriu a missão de ficar 2 meses na Polinésia para escrever diversas matérias jornalísticas para a companhia britânica na qual trabalha. Desta vez, se hospedou a bordo de um iate que passou por todas as ilhas paradisíacas deste maravilhoso país.

Polinésia Francesa é um país de ultramar da França, localizado ao sul do Oceano Pacífico, que consiste num conjunto de 118 ilhas de corais e vulcânicas. Apesar de ocupar uma área de cerca de 2.500.000 km², quase a soma dos territórios dos estados do Amazonas e Pará, as ilhas totalizam apenas 4.167 km², uma massa de terra menor que o Distrito Federal. A capital da Polinésia é Papeete, situada na ilha do Taiti, a maior em área e altitude, e que, além disso, é a mais densamente povoada de todo o arquipélago.

A população é de cerca de 270 mil habitantes, sendo a maioria de cristãos, divididos entre católicos e várias denominações protestantes. A língua oficial é o francês, sendo que várias línguas polinésias são faladas regionalmente, como o taitiano, o marquesano, o paumotu e o mengareva. Como moeda, o território utiliza o Franco CFP, moeda corrente também na Nova Caledônia e em Wallis e Futuna, criado ao mesmo tempo que o Franco CFA, destinado aos territórios franceses da África.

Em suas redes sociais, Emiliano compartilhou diversas fotos e vídeos sobre curiosidades das ilhas de Bora Bora, Moorea e Papeete, inclusive das hospedagens nos famosos bangalôs, que atraem turistas do mundo todo.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.