Tratamento para rinite alérgica no Rio de Janeiro

Precisa de tratamento para rinite no Rio de Janeiro?

O tratamento de rinite muda em relação à gravidade da rinite alérgica e sua classificação. A rinite pode ser leve ou moderada, intermitente ou persistente.

Uma vez estabelecidas as terapias alérgicas e as substâncias a que você é alérgico, as terapias disponíveis são diferentes.

A única terapia específica para o tipo de alérgeno é a imunoterapia específica (as chamadas “vacinas”), indicada em pacientes em que o transtorno possui sintomas duradouros ou em que a terapia medicamentosa não é eficaz ou induz efeitos colaterais.

Confira abaixo mais informações sobre a rinite alérgica, o tratamento e onde você pode encontrar um alergista no Rio de Janeiro.

O que é rinite alérgica?

Rinite alérgica é uma inflamação da mucosa nasal após a sensibilização por um agente alergênico.

Na maioria das vezes, o agente causador dessa alergia é volátil, ou seja, está presente no ar que se respira.

Quando o alérgeno entra em contato com as membranas mucosas do nariz e do trato respiratório, o sistema imunológico se defende desencadeando uma reação inflamatória.

Essa reação leva à dilatação dos vasos sanguíneos e ao aumento das secreções que levarão ao aparecimento de sintomas de rinite alérgica.

A rinite alérgica pode ser o único sinal de alergia ou estar acompanhada de outros sintomas, como conjuntivite alérgica.

É importante consultar um alergista para evitar uma piora, mas segura, dos sintomas alérgicos.

Bom saber: a rinite alérgica mal tratada é o terreno fértil para outras alergias se desenvolverem.

Rinite, uma condição cada vez mais comum

A rinite alérgica está se tornando mais comum e os sinais parecem ser mais pronunciados do que antes.

Há várias razões para isso:

  • O aumento da poluição com as emissões de gases de efeito estufa e o aquecimento global. Plantas sendo mais atacadas por esses dois fenômenos, produzem quantidades muito maiores de pólen (seus órgãos reprodutivos) do que no passado e em períodos muito mais longos.
  • Para economizar energia, as casas construídas na década de 70 foram extremamente isoladas, apesar da circulação natural do ar. Essas construções produziram muito mofo.
  • As pessoas têm cada vez mais animais de estimação (cães e gatos).

A rinite alérgica atualmente afeta quase 40% dos adultos da população mundial.

Além disso, enquanto a rinite alérgica geralmente aparecia entre as idades de 5 e 20 anos, ela agora pode aparecer na idade adulta sem que a pessoa tenha apresentado tais sintomas durante a infância (raramente além dos 40 anos, no entanto).

Deve-se notar também que as meninas têm um risco significativamente menor de rinite alérgica do que os meninos antes da puberdade, enquanto após a puberdade a diferença não é mais significativa.

Sintomas de rinite alérgica

Os principais sinais de rinite alérgica são:

  • espirrando em rajadas;
  • obstrução nasal ou impressão “nariz abafado”;
  • descarga nasal clara e líquida;
  • coceira nasal.

Os sinais de rinite alérgica normalmente começam logo após a exposição a um alérgeno. A maioria das pessoas com rinite alérgica tem sintomas leves que podem ser tratados de forma fácil e eficaz.

No entanto, para alguns, os sintomas podem ser mais graves e persistentes, e causar problemas com o sono e hábitos diários.

Causas da rinite alérgica

A principal causa de rinite alérgica depende da reação de hipersensibilidade do sistema imunológico aos alérgenos.

O sistema imunológico reage produzindo anticorpos para combater o alérgeno.

Anticorpos são proteínas contidas no sangue e normalmente produzidas pelo sistema imunológico para combater vírus e infecções.

Reações alérgicas não ocorrem na primeira vez que você entra em contato com um alérgeno.

O sistema imunológico deve reconhecer e armazenar o alérgeno antes de produzir anticorpos contra ele (um processo conhecido como sensibilização). O tempo que leva para se sensibilizar para um alérgeno varia de dias a anos.

A rinite alérgica se desenvolve quando os alérgenos aos quais a sensibilização se desenvolveu são respirados novamente e entram em contato com as membranas mucosas do nariz.

Os alérgenos mais comuns que causam rinite alérgica são:

  • Ácaros domésticos (pequenos insetos que se alimentam em escamas de pele humana);
  • Árvores de grama e pólen;
  • Animais;
  • alérgenos presentes no local de trabalho.

Não está totalmente claro por que algumas pessoas desenvolvem hipersensibilidade a alérgenos.

No entanto, a rinite alérgica geralmente afeta indivíduos atópicos, ou seja, indivíduos com síndrome familiar em que sintomas semelhantes ou intimamente relacionados são encontrados.

Fatores ambientais também desempenham um papel importante no desenvolvimento de doenças como a rinite alérgica.

Alguns estudos têm demonstrado que uma série de fatores parecem aumentar as causas da rinite alérgica em crianças, ou seja:

  • Crescer em uma casa de fumantes;
  • Ser exposto a ácaros de poeira;
  • Ser exposto a animais de estimação;
  • Usar antibióticos.

Fatores agravantes da rinite alérgica

Alguns fatores são conhecidos por agravar a rinite alérgica. Estes são todos os fatores que atacam a mucosa nasal, tais como:

  • exposição à fumaça do cigarro, particularmente durante o primeiro ano de vida;
  • exposição a outros irritantes no ar, como poluição, gases de escape, uso de aerossóis em casas, perfumes internos, etc.

Como tratar rinite alérgica?

Tratamento convencional para rinite alérgica no Rio de Janeiro

Existem tratamentos sintomáticos, como anti-histamínicos para aliviar os sintomas.

A rinite alérgica também pode ser tratada com imunoterapia específica para dessensibilização (vacina).

Este tratamento permite a atenuação significativa ou mesmo o desaparecimento da rinite alérgica.

O alergista pode propor vacinas de alérgenos preparados especialmente para o indivíduo.

É a única terapia que age sobre a causa da alergia e pode modificar a resposta imunológica incorreta que leva a inflamação alérgica.

O tratamento pode ser realizado na Clínica Brasil Sem Alergia. A clínica é especializada em testes de alergia, tratamentos e prevenção.

Prevenção de rinite alérgica

A melhor maneira de prevenir uma reação alérgica é evitar o alérgeno que o causa. No entanto, nem sempre é fácil.

Alérgenos como ácaros são difíceis de detectar e podem se reproduzir mesmo nas casas mais limpas.

Às vezes também pode ser difícil evitar animais de estimação, especialmente se eles pertencem a amigos e parentes.

Nesses casos é bom seguir essas dicas para prevenir a rinite alérgica:

  1. Usar travesseiros limpos, brinquedos macios, cortinas e móveis estofados regularmente, ambos com lavagem e sucção.
  2. Cubra colchões e travesseiros com tecidos impermeáveis aos ácaros, geralmente em microfibra; use travesseiros e edredons sintéticos acrílicos, em vez de cobertores de lã ou penas.
  3. Limpe as superfícies com um pano úmido.
  4. Mantenha os animais de estimação o máximo possível fora de casa.
  5. Não deixe animais de estimação nos quartos.
  6. Lave os animais pelo menos a cada quinze dias.

Não perca tempo!

Marque já sua consulta com um alergista para realizar o tratamento mais eficaz (vacina) para a sua rinite.

A clínica possui unidades em Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Realengo, Itaguaí – RJ, Iguaba Grande – RJ (Cruz Vermelha) e Unidade Xerém. Todas no Estado do Rio de Janeiro.

Para mais informações ligue no Telefone: +55 (21) 4063 8720 ou WhatsApp: +55 (21) 99374-2042.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.