Alexia Annes é premiada e homenageada no Festival Nacional de Cinema e Audiovisual CAWCINE | Contei

Atriz há 20 anos, Alexia Annes, também diretora, dramaturga teatral, roteirista e jornalista, coleciona um extenso número de trabalhos dramatúrgicos e recebeu nesta sexta feira (16), mais um prêmio de reconhecimento pelo seu talento e foi surpreendida com uma homenagem especial. A artista foi premiada pelo Festival Nacional de Cinema e Audiovisual CAWCINE como “Melhor Diretora”, por seu trabalho no curta-metragem “Culpa e Preconceito” e homenageada com o “Troféu Destaque”, pela criativa carreira e participação em 3 edições do evento.

O CAWCINE é um festival nacional de cinema e audiovisual que se encontra desde 2011 valorizando e estimulando projetos audiovisuais e artísticos sustentáveis e importantes para um meio ambiente melhor.

Além de conquistar espaço com o curta, Alexia também foi premiada com o roteiro de “Sukata O Musical – A Série”. O projeto, que conta a história de três atendentes que buscam melhorar suas vidas através da reciclagem e da sustentabilidade, venceu a categoria de “Melhor Pesquisa”. A categoria avalia o roteiro dos projetos, que em “Sukata – O Musical”, foi desenvolvido e escrito pela artista. Alexia também assina a composição musical do projeto.

“Foi uma grande surpresa receber o prêmio de ‘Melhor Diretora’. Eu estava concorrendo com mulheres incríveis e estou muito feliz. O reconhecimento do trabalho sempre me impulsiona a continuar na luta. Além da premiação com o Roteiro do Sukata o Musical – A Série ou Filme, um projeto que promete sair do papel ainda este ano, uma série jovem e com muita brasilidade. Sou muito grata ao elenco e ao Festival Cawcine, por também ter sido escolhida como a Cineasta mulher homenageada com o ‘Troféu Destaque’. Foi uma grande surpresa e alegria! São alguns anos participando do festival com filmes, e projetos que tem o foco no Universo Feminino e Sustentabilidade”, afirma Alexia sobre as conquistas.

Produzido de maneira remota ainda na primeira fase da pandemia em 2020, o curta “Culpa e Preconceito” teve o roteiro desenvolvido pela própria artista e aborda sobre a violência contra a mulher e o agravante e intensidade desses atos com a chegada da quarentena. A produção estava indicada ao festival CAWCINE nas categorias: “Melhor Diretora” e “Melhor Cenário”.

“É importante trazer à tona o debate de mulheres que vivem situações de opressão e violência, além da urgência com o aumento desse tipo de violência principalmente durante a pandemia”, conclui.

No curta, o casal Eleonora Albuquerque (Isabela Prado) e Maurice (Daniel Jorge) vive um relacionamento repleto de aparências para a sociedade burguesa. Durante a quarentena, o mundo encantado se torna um universo de violência e medo. Os próprios atores realizaram as gravações de suas casas através de celular. A produtora de audiovisual independente Batom Produções, a qual Alexia também é proprietária, é a responsável pela trama.

“Como diretora o meu trabalho é em conjunto. Eu gosto de escutar o ator e vivenciar cena a cena, com entrega e seriedade. Foi um grande desafio preparar todo o curta de forma online, mas só posso agradecer ao elenco incrível, Isabela Prado e Daniel Jorge”, explica a atriz.

Alexia ainda comenta o quão importante é conquistar esse espaço com as indicações em um festival tão necessário quanto o CAWCINE. “O festival é maravilhoso e já existe há 10 anos. Podemos observar que um festival deste porte movimenta cineastas de todo o Brasil. É uma iniciativa maravilhosa que vem para somar neste momento de tantas dificuldades para a classe artística”, completa.

Sobre Alexia Annes

Tendo iniciado a carreira como atriz há 20 anos em oficinas culturais na periferia de São Paulo, Alexia Annes também é hoje, diretora, roteirista, dramaturga e jornalista. Colecionando um amplo número de trabalhos e projetos já realizados nos longos anos de carreira, a atriz também acumula indicações e prêmios em diversos festivais e é proprietária da produtora de audiovisual independente, a Batom Produções.

Depois de voltar de uma turnê de teatro pelo Brasil, resolveu seguir com os estudos e aprendeu muito com diversos profissionais da área, entre eles: Wolf Maya, Fátima Toledo e Alberto Guzik, aprimorando ainda mais sua bagagem e conhecimentos.

“Atuar é a minha ferramenta de trabalho e minha forma de colaborar com a sociedade. Através da atuação e dos meus roteiros, levo o questionamento até à sociedade. Sem julgamentos, mas sempre com uma grande reflexão” – aponta Alexia sobre a arte.