Conheça o trabalho do personal Léo Bac | Contei

Aquela caminhada logo cedo para a padaria, supermercado, farmácia ou até mesmo para encontrar o “compadre” na praça sentado no banco, aquelas aulas de ginástica lá no postinho de saúde e tantos outros passeios matinais interrompidos por conta da reclusão, conhecida como “quarentena”.

Diante dessa pandemia que se tornou a Covid-19 (coronavírus), estamos muito preocupados (e com razão) com a saúde dos idosos, grupo mais afetado pelo novo vírus. Por conta da imunidade baixa e a falta de anticorpos, os idosos são as maiores vítimas.

Agora em quarentena, aquelas caminhadas matinais que os idosos faziam diariamente como uma atividade física, melhorando suas articulações, frequência cardíaca, bom humor, coração e bem estar, foram interrompidas. E agora, confinados, como eles irão movimentar o corpo e manter a mente ocupada e saudável?

Hoje, vemos nas redes sociais muitos educadores físicos ajudando boa parte da população com videoaulas de definição e fortalecimento de abdômen, pernas, glúteos e braços, mas pouco se vê relacionado aos idosos. Como educador físico, há 9 anos, vejo que a terceira idade está sim, bem ativa nas atividades físicas.

Um trabalho físico dentro de suas casas, vai possibilitar uma melhora da saúde mental, aumento da imunidade, ajudará no cuidado cardiovascular, evitando assim, o estresse e a ansiedade gerados pelo confinamento.

Além disso, é essencial neste período manter uma alimentação rica em verduras, frutas, legumes, evitando gordura e alimentos com alto índice de carboidratos.

Exercícios simples, como sentar e levantar da cadeira, repetições utilizando garrafas de água, sacos de feijão ou corridas leves sem sair do lugar, já servem como motivação para movimentar o corpo e ocupar o tempo até essa pandemia passar e a rotina voltar a ser como antes.

@leo.bac.personal
@xedandrade